Lectio Divina – 1º Domingo do Tempo da Quaresma – Ano A- 05 de Março de 2017

Texto Bíblico: Evangelho de São Mateus 4, 1-11 

Jesus foi conduzido pelo Espírito ao deserto. Depois de ter jejuado quarenta dias e quarenta noites, acabou sentindo fome. Aí foi tentado pelo demônio, que se aproximou e disse: Se és o Filho de Deus, ordena que estas pedras se transformem em pães. Mas ele respondeu: Está escrito: Não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Então o diabo o leva à cidade Santa, coloca-o no alto do Templo e lhe diz: – Se és o Filho de Deus, atira-te para baixo, pois está escrito: Ele dará ordem a seus anjos e eles te carregarão nas mãos, para evitar que firas o pé nalguma pedra. Jesus lhe diz: – Também está escrito: Não porás à prova o Senhor teu Deus. O diabo o leva ainda a uma montanha muito alta. Mostra-lhe todos os reinos do mundo e seu esplendor e lhe diz: Tudo te darei, se, prostrando-te, me adorares. Então Jesus lhe diz: Retira-te,satanás! Pois está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás e só a Ele servirás. Então o diabo o deixou e eis que se aproximaram anjos e o serviam. 

1 – LEITURA: Que diz o texto?

Hoje, São Mateus fala das tentações no deserto, onde aparece o tentador para afastá-lo do caminho da salvação. Foi uma tentativa, pois nada conseguiu de Jesus. Tudo teve início quando o Espírito o conduz ao deserto. E é aí mesmo que ele foi tentado… O número quarenta também não é limitado a este tempo só. Irá ser assim na vida inteira de Jesus: muitas vezes irá ao deserto, à montanha para estar com o Pai. O deserto é lugar privilegiado do encontro com o Pai.  Jesus, o Filho de Deus sente também a presença do Espírito. Assim vai ser por toda a sua vida. Diante de qualquer obstáculo, Jesus está seguro, pois está sempre unido ao Pai e a seu Santo Espírito. O número três na Bíblia pode significar muito. Aqui pode também aludir às tentações acontecidas em toda a vida de Jesus, tendo sempre a mesma resposta. As três tentações acontecem na vida humana: os bens materiais que tomam conta da vida mais que os espirituais; a presunção que pensa ser ajudado por Deus mesmo que abusando de sua bondade; a ânsia do poder cultural, social, político para dominar sobre as pessoas.

Outros textos para comparar: Mc 1,12-13; Lc 4,1-13; Hb 2,18; Dt 6, 13.

Perguntas sobre a Leitura:

* Que significa o número três?
* Que significa o número quarenta?
* Que entendemos: Jesus refutou três vezes o diabo?
* Que significa na Bíblia, na vida cristã, o deserto?
* Lembremos agora as três tentações de Jesus com seu sentido.

2 – MEDITAÇÃO: Que é que me diz este trecho? O que nos diz a nós?

* Que é que mais me tocou neste trecho? Por que?
* Como tem sido meu diálogo com o Pai do Céu que me dá força para não cair nas tentações da vida?
* Que coisas me tentam mais a me afastar do caminho reto e seguro que Jesus me propõe?
* Como enfrento as tentações comuns? Oro como Jesus?

3 – ORAÇÃO: O que devo dizer a meu Senhor? O que devemos dizer?

Procuro imaginar-me com os apóstolos, e ser convidado por Jesus a me afastar um pouco das preocupações comuns do meu dia-a-dia. No silêncio deste momento peço a Cristo que fale à minha mente, que desperte sentimentos de confiança em meu coração. Que me alerte às tentações mais comuns de minha vida… Que eu seja mais vigilante e não brinque com as tentações…

4 – CONTEMPLAÇÃO: Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?

Durante esta semana, pense um pouco como Cristo enfrentou sempre estas tentações durante a Sua vida com a certeza de estar sempre com seu Pai e com O Espírito Santo. (Não só de pão, mas da Palavra da boca de Deus…  Não tentes o teu Deus… Só a Deus adorarás…)

É possível, no meio de tantas tentações que a vida hoje nos apresenta, estar unido a Deus, sentir sua amorosa presença…

* Obrigado, Senhor, por manter-me longe do pecado…
* Quero contar com teu amor presente em todos os momentos
* Ajuda-me a resistir às tentações confiando em tua presença amiga.

5 – AÇÃO: Que me proponho fazer? Que nos propomos fazer?

Propostas pessoais

* Buscar força na oração para afastar as tentações que me acontecem.
* Avaliar o porquê das tentações que me ocorrem. Até onde eu as provoco? Como evitá-las daqui para frente?
* Relembrar o que ouvi na missa deste domingo na pregação do sacerdote.

Propostas comunitárias
* Procure estar com outras pessoas para comentar tudo que aproveitamos deste trecho de hoje.
* O que nos programas da televisão, Internet, jornais e revistas tem sido ocasião de tentação para as pessoas. Como alertá-las?

 

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *