Lectio Divina – Domingo da Ascensão do Senhor – Ano A – 28 de Maio

TEXTO BÍBLICO: Evangelho de São Mateus 28,16-20

Os onze discípulos foram para a Galileia e chegaram ao monte que Jesus tinha indicado. E, quando viram Jesus, o adoraram; mas alguns tiveram suas dúvidas. Então Jesus chegou perto deles e disse: – Deus me deu todo o poder no céu e na terra. Portanto, vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-os a obedecer a tudo o que tenho ordenado a vocês. Eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos.

l – L E I T U R A: O que diz o texto?

Cristo Ressuscitado, vencendo a morte e as trevas do pecado nos fez participar da grandiosa esperança na vida eterna.

Jesus retorna ao Pai e agora os encarregados de realizar o que deveria ser feito por Ele são seus discípulos. O Senhor dará a seus discípulos uma lista de atividades não fáceis: “Vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-os a obedecer a tudo o que tenho ordenado a vocês. Lembrem-se: eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos.” Parecia que Jesus lhes estivesse dizendo: “Eu já fiz a minha parte, agora façam a de vocês, porém não se preocupem porque eu lhes estarei observando, abençoando e iluminando”

Começa um novo processo no qual Jesus continua sendo o protagonista, mas os responsáveis por levá-lo adiante são os seus discípulos que agora vão de dois em dois por todo o mundo anunciando a Boa Nova da Salvação.

O que os discípulos farão? Farão o que Jesus estaria fazendo se estivesse entre nós: pregando a alegria e a salvação, perdoando os pecados, pregando com alegria e convertendo muitos corações com a força da Palavra e do testemunho de vida.

Esta é a nova missão que compete não somente aos personagens bíblicos, mas a todos os que professam nossa fé na Igreja e na pessoa do Senhor Jesus Cristo.

Santo Agostinho tem uma frase que resume tudo o que acabamos de abordar. Memorize e a ensine a seus familiares e amigos: “O que existe de cristão num cristão é Cristo.” Esta frase nos ajuda a sermos conscientes de que tudo o que fazemos em nome de Cristo, não se realiza por nossos próprios méritos, mas graças à ação do Ressuscitado que por meio do Espírito Santo realiza maravilhas em nós.

Outros textos bíblicos para confrontar: Mateus 18, 20; João 14, 18-2; Marcos 16.14-18; Lucas 24.36-49; João 20.19-23; Atos 1.6-8

Perguntas para a leitura:

  • O que fizeram os discípulos quando viram Jesus?
  • Jesus fala de um lugar onde lhe foi dado poder. Que lugar é este?
  • Quais tarefas concretas Jesus, antes de partir, recomenda a seus discípulos?
  • Jesus nos fala sobre um tempo no qual estará conosco. Qual é este tempo?

2 – M E D I T A Ç Ã O: O que me diz o texto? O que nos diz o texto?

  • Sinto-me satisfeito da maneira como falo sobre as maravilhas do Senhor?
  • Sinto que o convite de Jesus a seus discípulos é também um convite para mim?
  • Sei das responsabilidades em minha casa. Sei também que tenho responsabilidades em minha vida de fé… Cumpro com estas responsabilidades?

3 – O R A Ç Ã O: O que digo a Deus? O que dizemos a Deus?

Senhor Jesus, sabemos que ao subir ao céu, não nos deixaste sozinhos com a responsabilidade em nossas mãos. Sabemos que segues conosco, acompanhando-nos, amando-nos, compreendendo-nos. Hoje Senhor Jesus, te pedimos que nos faça pregadores da tua Palavra, que nossa vida sirva para testemunhar o imenso amor que tu tens por nós! Dá-nos sabedoria para não duvidar nem por um momento da maravilha do teu amor. Dá-nos fortaleza para que não desfaleçamos em nosso caminho de fé. Dá-nos entendimento para compreendermos melhor, a cada dia, o que esperas de nós. Amém.

4 – C O N T E M P L A Ç Ã O: Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?

  • Imagine o que experimentaram os discípulos ao se sentirem responsáveis pela missão tão importante como a que nos narra a Lectio Divina do dia de hoje.
  • De que maneira você tem respondido ao convite que Jesus lhe fez, de ser testemunha do seu amor?
  • Que sentimento você experimentou ao escutar a frase de Jesus “eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos.”?

5 – A Ç Ã O: Com o que me comprometo? Com o que nos comprometemos?

Propostas pessoais:

  • Convide uma pessoa que não seja atuante nas coisas da Igreja para dialogar com ela por algum momento sobre a pessoa adorável do Senhor Jesus;
  • Neste mesmo diálogo, sinta como o convite de Jesus, a anunciar as maravilhas de seu amor, é feito especialmente para você;
  • Analise este diálogo, pense nas coisas que você falou e reflita sobre elas;
  • Realize este mesmo exercício com algum familiar que esteja distante das práticas religiosas… “Não tenha medo”.

Propostas comunitárias:

  • Leia com outras pessoas este texto e comente-o em grupo;
  • Escrevam uma oração pelos missionários e missionárias e orem pelas missões;
  • Perguntem-se se o Senhor os está chamando a serem os novos missionários do ano 2011;
  • Não se esqueçam que a missão começa em casa.
Publicado em Artigos | Deixe um comentário

TEXTO BÍBLICO: Evangelho de São João 14, 15 -21

Jesus continuou: Se vocês me amam, obedeçam aos meus mandamentos. Eu pedirei ao Pai, e ele lhes dará outro Auxiliador, o Espírito da verdade, para ficar com vocês para sempre. O mundo não pode receber esse Espírito porque não o pode ver, nem conhecer. Mas vocês o conhecem porque ele está com vocês e viverá em vocês. Não vou deixá-los abandonados, mas voltarei para ficar com vocês. Daqui a pouco o mundo não me verá mais, mas vocês me verão. E, porque eu vivo, vocês também viverão. Quando chegar aquele dia, vocês ficarão sabendo que eu estou no meu Pai e que vocês estão em mim, assim como eu estou em vocês. A pessoa que aceita e obedece aos meus mandamentos prova que me ama. E a pessoa que me ama será amada pelo meu Pai, e eu também a amarei e lhe mostrarei quem sou.             

 l – L E I T U R A: O que diz o texto? Perguntas para a leitura:

* Como se deve demonstrar o amor a Deus?

* Quem receberá o Espírito Santo?

* Como se reconhece a verdade?

* Que acontece com aqueles que vivem de acordo com o mundo?

* O que os Discípulos deviam fazer para ser um com Cristo?

* Quem são aqueles que poderão ver ao Senhor?

Jesus promete a seus discípulos enviar-lhes o Espírito Santo. Ele consolará o seu povo. A condição para receber o Espírito Santo é: Vocês mostrarão que me amam se cumprirem meus mandamentos. Jesus faz esta promessa de enviar o Espírito Santo, porque sabe que seus discípulos estão tristes, preocupados diante da ideia de sua próxima partida, e este Espírito os indicará o caminho correto que devem seguir. Ele lhes ensinará o que é a verdade. Para os discípulos será um momento difícil a partida de Jesus, porque já não contarão com a presença do Mestre, não poderão ter respostas a suas dúvidas e temores.

Por que os discípulos podem ver o Espírito? Como é que está no meio deles? Porque é o Espírito do próprio Jesus que se dará, é Cristo mesmo quem habitará neles, serão um com Ele e Ele estará neles.

Nós nos encontramos diante de Deus, o Pai, em sua condição de Criador, o Filho, em sua condição de Redentor e o Espírito Santo como Advogado e quem consola. A Santíssima Trindade é um dos maiores mistérios para nós. Como três pessoas diferentes podem ser um mesmo Deus? Somente com os olhos da fé se pode crer nesta verdade.

O texto fala da importância da obediência à vontade do Pai.

Somente vivendo de acordo com as exigências de Cristo poderá levar os discípulos a receberem o Espírito Santo. Com isto demonstram seu amor a Deus, e poderão ver as coisas segundo os olhos de Deus, e assim Jesus poderá ser conhecido melhor por eles. O Espírito Santo se manifesta de diferentes maneiras, e nos é dado de acordo com a vontade do Pai.

Outros textos bíblicos para comparar: 1 Jo 5,3; Mt 28,20; At 10,40-41.

2 – M E D I T A Ç Ã O: Que me diz o texto? O que nos diz o texto?

* Como é nossa vida de discípulos de Cristo? Jesus hoje nos está chamando para viver em obediência a seus mandamentos, uma vida de Santidade. Somente dessa maneira poderemos converter-nos em pessoas que agradem a Deus

* Nossas ações estão sendo iluminadas pelo Espírito de Deus? Ver em que momentos de nosso agir este Espírito é quem nos guia. Devemos orar e nos perguntar se realmente vivemos desejando que seja Cristo quem atua em nós.

* Viver segundo o mundo não nos permite ser verdadeiros discípulos do Senhor, nos separa das palavras de Jesus: “Eu serei um com vocês”. Somente a vida guiada pelo Espírito Santo é que agrada a Deus. De que maneira vivo meu discipulado? Com o espírito de Deus ou com o espírito do mundo?

3 – O R A Ç Ã O: O  que digo a Deus? O que dizemos a Deus?

Chegou a hora de responder ao Pai, é o momento de abrir nosso coração a Jesus e deixar-nos guiar por seu Espírito, dirigindo-lhe a oração que vem de nosso coração:

Senhor, apresento-me diante de Ti para te louvar, e te dar graças por teu amor.

Obrigado por me amar, obrigado por ensinar-me o que queres de mim, obrigado por ser meu amigo, obrigado por me mostrar o caminho a seguir para te agradar.

Dá-me Senhor um espírito como o teu, para poder fazer tua vontade, dá-me Senhor forças para cumprir teus mandamentos.

Dá-me forças para remover de mim tudo o que me convida a não te seguir, tudo que me chama a não ser como tu. Senhor, sou teu e te amo. Amém

4 – C O N T E M P L A Ç Ã O – Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem

Contemplemos a Jesus que nos convida a ser um com Ele e repitamos algumas vezes:

Senhor, sou teu e te amo…    Senhor, sou teu e me deixo amar por ti…

Senhor, quero ser um só contigo…   Senhor, sou teu e te amo…

Quero preparar-me para receber teu Santo Espírito… Envia-me Senhor teu Espírito.

Esta semana, cada vez que estivermos em um momento de oração, repitamos esta frase: “Senhor sou teu e te amo…” “Envia-me Senhor teu Espírito.

5 – A Ç Ã O: Com o que me comprometo? Com o que nos comprometemos?

Propostas pessoais:

* Estudar os mandamentos que Cristo nos deixou e, à luz deles, ver em quais pontos devo melhorar; fazer um propósito de mudança;

* Cada uma de nossas ações seja iluminada pelo Espírito de Deus, e sempre perguntemos: Qual seria a melhor maneira de agradar a Deus neste momento?

Propostas comunitárias:

* Estudar em grupo os mandamentos de Cristo e os mandamentos da Igreja para poder compará-los com nossas ações;

* Saber de todos os membros do grupo “Qual é a melhor maneira para deixar-se guiar pelo Espírito de Deus? Que ações devemos realizar para poder levar uma vida guiada no Espírito de Cristo

Publicado em por Pastoral de Liturgia | Deixe um comentário

Lectio Divina – 4° Domingo da Páscoa – Ano A – 07 de Maio

 

TEXTO BÍBLICO: Evangelho de São João 10, 1 – 10

Jesus disse: “Quem não entra no curral das ovelhas pela porta, mas pula o muro é um ladrão e bandido. Mas quem entra pela porta é o pastor do rebanho. O porteiro abre a porta para ele. As ovelhas reconhecem a sua voz quando ele as chama pelo nome, e ele as leva para fora do curral. Quando todas estão do lado de fora, ele vai na frente delas, e elas o seguem porque conhecem a voz dele. Por isso não seguirão um estranho! Pelo contrário, elas fugirão, pois não conhecem a voz de estranhos”. Jesus fez esta comparação, mas não entenderam o que ele queria dizer. Jesus continuou: ”Eu sou a porta por onde as ovelhas passam. Todos os que vieram antes de mim são ladrões e bandidos, mas as ovelhas não deram atenção à voz deles. Eu sou a porta. Quem entrar por mim será salvo; poderá entrar e sair e achará comida. O ladrão só vem para roubar, matar e destruir; mas eu vim para que as ovelhas tenham vida, a vida completa”.

l – LEITURA: O que diz o texto?

Perguntas para a leitura:

* O que faz um ladrão em um curral de ovelhas? Por onde entra o ladrão?

* Por onde entra o pastor? O que faz o pastor quando abre a porta do curral?

* O que as ovelhas reconhecem do pastor? Elas não seguiriam a quem? Por quê?

* O que significa ser a porta do curral?

* O que significa passar pela porta que é Jesus para ter a Salvação?

* Que tipo de vida Jesus oferece?

Dicas para a leitura:

A Igreja apresenta Jesus como o Bom Pastor que veio trazer vida nova para nós, suas ovelhas. Uma -parábola é uma comparação. Em muitos lugares do Antigo Testamento Deus é comparado a um pastor, (Sl 80, ou Sl 23). Os antigos pastores levavam seus rebanhos de ovelhas ao redil, curral, lugar cercado, protegido por um guarda, para que as ovelhas passassem as noites seguras. De manhã, o pastor dirige-se até a única porta que há neste curral e vai chamando as ovelhas pelo nome, uma por uma. Assim, uma vez fora, elas o acompanham aos pastos e aos locais com água para que se alimentem e descansem. Não há outra porta para ir ao lugar seguro que o próprio Jesus. Como “porta”, Jesus é nosso único acesso à posse da revelação de Deus.

Jesus como o Bom Pastor: Ele está para salvar as ovelhas, dá-lhes livre acesso aos pastos, provê-lhes abundância espiritual, moral e material, em contraste com o lobo que só vem para matar e alimentar-se delas. O Bom Pastor tem relação íntima, pessoal com cada uma das ovelhas; comparável com a relação que Jesus tem com seu Pai, até ao ponto que está disposto a dar sua vida pelas ovelhas, para que possam ter vida completa, tal como Deus criou a vida. A voz do pastor é algo que tem que ser destacado. O texto fala que as ovelhas seguem ao pastor porque reconhecem a sua voz. Mas não seguiriam a um desconhecido; ao contrário, fugiriam dele, pois não reconheceriam sua voz. A voz do pastor que as ovelhas seguem é porque elas reconhecem que ele as trata com amor e cuida delas. E esta é a confiança que se vai ganhando entre o pastor e a ovelha. Mas também Ele fez por ganhar a confiança mútua delas.

Outros textos bíblicos para confrontar: Sl 23; SI 80; Ez 34

2 –  MEDITAÇÃO: O que me diz o texto? O que nos diz o texto?

Jesus, o Cristo, o Bom Pastor continua guiando nossas vidas através de sua Palavra proclamada e na qual a Igreja crê.

* Estou atento, escutando a voz de Jesus, meu único Bom Pastor?

* Quais outras vozes escuto normalmente? Quando atendo a elas?

* Reconheço que quando Jesus fala, devo prestar atenção ao que Ele me pede?

* Quero que o Bom Pastor aja somente conforme meus próprios desejos? E dê as orientações as quais quero que minha vida tenham?

* Quanto em nossa vida é conduzido pelo Bom Pastor?

* Tenho a consciência de que Jesus tem um só rebanho e Ele é o único Pastor?

3 – ORAÇÃO: O que digo a Deus? O que dizemos a Deus?

Rezemos juntos e devagar o texto do Salmo 23: “O Senhor é o meu pastor: nada me faltará. Ele me faz descansar em pastos verdes e me leva às águas tranquilas. É Ele que renova minhas forças e me guia por caminhos certos. Mesmo que eu ande por vale escuro como a morte, não terei medo de nada. Pois tu, Senhor Deus, estás comigo; tu me proteges e me diriges. Preparas um banquete para mim e me recebes como convidado de honra e enches o meu copo até derramar. Tua bondade e teu amor ficarão comigo enquanto eu viver. E em tua casa, Senhor, morarei todos os dias da minha vida”. Amém

4 – CONTEMPLAÇÃO: Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?

Pensar sobre Jesus, o Bom Pastor de minha vida é tomar consciência de que estou entregando todo meu ser, as rédeas de tudo que sou ao Bom Pastor. Quero pedir que Ele me guie, que Ele me leve, que Ele cuide de mim.

Meditemos devagar em cada pensamento do Salmo 22(23):

Senhor, tu és o meu Pastor, por isso nada me falta.

Senhor, tu sacias minha sede.

Senhor, tu me levas pelo bom caminho.

Senhor, contigo nada temo, nada me dá medo.

Senhor, estou tranquilo porque tu me acompanharás sempre.

 5 – AÇÃO: Com o que me comprometo? Com o que nos comprometemos?

Propostas pessoais:

* Jesus será o Pastor de minha vida se eu mudar minha mentalidade e atitudes. Ver que atitudes minhas não estão de acordo com o Evangelho e fazer uma proposta de mudança para que possa demonstrar minha conversão.

* Anotar em um caderno de orações todas as mudanças que vão acontecendo em mim, agora que o Senhor é meu Bom Pastor.

Propostas comunitárias:

* No grupo, propor resgatar todos os amigos e amigas que por algum motivo não mais
participam de nossa vida comunitária da Igreja e fazer com eles alguma celebração
festiva para convidá-los a participar novamente.

* Colocar uma meta clara para todos perseverarem em nossa comunidade, sabendo que
somos o rebanho do Senhor.

Publicado em Artigos | Deixe um comentário

Lectio Divina – 3° Domingo da Páscoa – Ano A – 30 de Abril

 

TEXTO BÍBLICO: Evangelho de São Lucas 24,13-35

No primeiro dia da semana, dois dos discípulos de Jesus estavam viajando para uma aldeia chamada Emaús, a doze kms de Jerusalém.Conversavam sobre os últimos aconteci­mentos havidos em Jerusalém. Enquanto conversavam, o próprio Jesus aproximou-se e caminhou com eles. Seus olhos, po­rém, estavam impedidos de reconhecê-lo.

Ele perguntou: Sobre o que vocês estão conversando?  Eles mostravam um rosto cheio de tristeza. Pararam e um deles, chamado Cléofas, disse: Tu és o único estrangeiro em Jerusalém que ignora os fatos que nela aconteceram nestes dias? O que foi? disse-lhes ele. Responderam: “O que aconteceu a Jesus, o Nazareno, um profeta poderoso em obra e em palavra, diante de Deus e de todo o povo. Nossos chefes religiosos o entregaram para ser condenado à morte e o crucifi­caram. Nós esperávamos que fosse ele quem iria redimir Israel. Mas, faz três dias que essas coisas aconteceram! É verdade que algumas mulheres, que são dos nossos, nos assusta­ram. Tendo ido muito cedo ao túmulo e não tendo encontrado o corpo, voltaram dizendo que tinham tido uma visão de anjos a decla­rarem que Ele está vivo. Alguns dos nossos foram ao túmulo e en­contraram as coisas tais como as mulheres haviam dito; mas a ele mesmo não o viram!”

Jesus, então, lhes disse: Vocês são lentos de coração para crer tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória? E, começando por Moisés e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as Escrituras o que dizia respeito a ele. Aproximando-se da aldeia para onde iam, Jesus fez como se fosse mais adiante. Eles, porém, insistiram: Fica conosco, pois cai a tarde e o dia já declina. Então ele entrou para ficar com eles. Uma vez à mesa com eles, tomou o pão, abençoou-o, depois o par­tiu e o distribuiu a eles. Então seus olhos se abriram e o reconhe­ceram. Jesus, porém, desapareceu diante deles. Disseram um ao outro: Não ardia o nosso coração quando ele nos falava pelo cami­nho, quando nos explicava as Escrituras? Naquela mesma hora, levantaram-se e voltaram para Jerusalém. Acharam aí reunidos os onze e seus companheiros, que disseram: É verdade! O Senhor ressurgiu e apareceu a Simão! E eles narra­ram os acontecimentos do caminho e como o haviam reconhecido na fração do pão.           

  1. LEITURA – O que diz o texto?
  2. Era costume quando as pessoas iam para um cidade se encontrarem com alguém que ia seguindo com eles.
  3. Pararam, tristes e espantados por o estranho nada saber do que acontecera…
  4. Eles então começam a falar de Jesus, até entusiasmados, como a ensinar ao desconhecido… Mas sua fé era fraca… umas senhoras das nossas falaram… Nada do que acontecera tocou-lhes o coração…
  5. Jesus chama-lhes à atenção,explica o sentido dos acontecimentos lembra as profecias. Deve ter sido emocionante, pois depois comentaram que sentiram seus corações tocados.
  6. Sendo convidado a entrar na casa deles, Jesus, com o gesto significativo do partir o pão, revela-se a eles e desaparece…
  7. Então despertam, comentam e decidem voltar para juntos dos apóstolos.

Outros textos bíblicos para comparar com este texto: Mc 16,12-13; At 2, 22-25

Perguntas para aprofundar na leitura:

* Para onde iam os discípulos e por quê?

* Quem apareceu no meio do caminho? O que perguntou?

* Que resposta deram e o que contaram, como contaram?

* Como Jesus explica os acontecimentos? E eles como se sentem?

* Como enfim reconheceram Jesus? Que decidiram então?

  1. MEDITAÇÃO – O que me diz esta passagem? O que diz a todos nós?

* Em muitas ocasiões Cristo caminha comigo. Sou capaz de reconhecê-lo?

* Posso apresentar estes momentos?

* Quando falo sobre Jesus morto e ressuscitado, tenho mesmo fé no que digo?

* Diante de alguns acontecimentos sinto-me triste?  Por quê? Que fazer?

* Tive momentos em minha vida em que me senti tocado pela graça?

* Minha vida se transformou ou se transforma diante destas graças?

  1. ORAÇÃO – Como devo orar? Como precisamos orar junto?

Imaginemos estar na mesma situação desses discípulos… Pensando nesses acontecimentos tristes, vou orar com minhas palavras diante de cada momento falado pelos discípulos: a pessoa de Jesus (quem era… o que fazia… como o povo o seguia…).

Podemos também orar assim: Jesus, penso em meus momentos de tristeza e sofrimento… Minha fé esmorecia… Por minhas respostas de então, hoje, Senhor, aceito ter passado por estas situações…. Creio em Ti… tinhas um plano melhor para mim.. Vou repetir muitas vezes que acredito que tu ressuscitaste e estás vivo, aqui sempre acompanhando minha vida… Ajuda-me, Senhor…

  1. CONTEMPLAÇÃO

Neste momento, em silêncio, que o Senhor fale a meu coração o que tem a me dizer… Quero ouvi-lo…  Lembrando sempre de Jesus, sua bondade, sua misericórdia, seu amor que quis passar por tantos sofrimentos por amor a mim…

Perguntemos sinceramente a Cristo: O que queres de mim hoje? Ouvir, aceitar…   

  1. AÇÃO APOSTÓLICA

Propostas pessoais:

* Vou procurar pensar as muitas vezes em que Jesus caminhou comigo em minha vida e eu nem percebi. Colocar por escrito. E pensar: por que foi assim?

* Fazer o mesmo em relação a momentos em que senti de perto a presença de Cristo me corrigindo e me animando. Escrever!         

Propostas comunitárias:

* Conversar em grupo sobre o que sentimos e vivemos nas duas propostas pessoais. Comentar. Ajudar para que descubramos para os outros estes momentos.

* Tentar encaminhar para outras pessoas de grupos diferentes pastorais ou não o que  aconteceu hoje aqui com esta caminhada da lectio divina.

Publicado em Artigos | Deixe um comentário

Lectio Divina – 2° Domingo da Páscoa – Ano A – 23 de Abril

Texto Bíblico: Evangelho de São João 20, 19-31 

Naquele mesmo domingo, à tarde, os discípulos de Jesus estavam reunidos de portas trancadas, com medo dos líderes judeus. Jesus chegou, e no meio deles disse:  – Que a paz esteja com vocês! Mostrou suas mãos e o seu lado. Eles ficaram muito alegres ao verem o Senhor. Jesus disse de novo: – Que a paz esteja com vocês! Assim como o Pai me enviou, eu também envio vocês. Depois soprou sobre eles e disse: – Recebam o Espírito Santo. Se vocês perdoarem os pecados de alguém, esses pecados são perdoados; mas, se não perdoarem, eles não são perdoados. Tomé, um dos discípulos, que era chamado de o Gêmeo, não estava com eles quando Jesus chegou. Os outros discípulos disseram a Tomé: – Nós vimos o Senhor! Ele respondeu: – Se eu não vir o sinal dos pregos nas mãos dele, e não tocar ali com o meu dedo, e também se não puser a minha mão no lado dele, não vou crer!  Uma semana depois, os discípulos de Jesus estavam outra vez reunidos, e Tomé estava com eles. Jesus chegou e disse: – Que a paz esteja com vocês!  Em seguida disse a Tomé: – Veja as minhas mãos e ponha o seu dedo nelas. Estenda a mão e ponha no meu lado. Pare de duvidar e creia! Então Tomé exclamou: – Meu Senhor e meu Deus! – Você creu porque me viu? disse Jesus. – Felizes são os que não viram, mas assim mesmo creram! Jesus fez muitos outros milagres que não estão escritos neste livro. Estes foram escritos para que vocês creiam que Jesus é o Messias, o Filho de Deus. E, crendo, tenham vida por meio dele.

1 – Leitura – O que diz o texto?

* Onde estavam os discípulos e qual era seu sentimento?

* O que Jesus diz quando aparece para eles?Que sentiram os discípulos quando Jesus apareceu?

* Jesus os envia para quê?

* Qual a reação de Tomé quando os outros contam o que aconteceu?

* Quando Jesus aparece de novo o que ele diz a Tomé? O que Tomé responde?

* O que Jesus diz diante da resposta de Tomé?

O evangelista apresenta a aparição de Jesus, cumprindo assim a promessa de seu retorno. É hora de sua exaltação e glorificação. Os discípulos tinham medo dos judeus e por isso estavam fechados, mas Jesus ao aparecer, a primeira coisa que diz é desejar a paz.

Aquele que aparece como Ressuscitado é o mesmo que foi Crucificado?  João relata: Jesus os mostrou suas mãos e seu lado. O que foi crucificado e sepultado, vencendo a morte, aparece como o primeiro chamado pelo Pai para a vida da Glória Eterna.

A alegria dos discípulos transforma-se em sinal do encontro com Jesus Ressuscitado. Reconhecer que Ele está vivo, no meio deles terá como selo a alegria, a felicidade permanente.

O envio: Como o Pai me enviou, assim também eu os envio. A missão de Cristo é a mesma missão que terão seus seguidores. A recepção do Espírito Santo e depois, o perdão dos pecados, é a missão dos discípulos que se uniram a comunidade salvífica da Igreja.

Ainda que será em Pentecostes a grande manifestação do Espírito Santo, já o está adiantando Jesus ressuscitado, como um dom inefável.

Tomé não acredita nos discípulos, duvida da ressurreição. Jesus volta e chama Tomé para que veja, olhe suas mãos e seu lado e, em vez de duvidar, deve crer. Tomé responde: “Meu Senhor e Meus Deus” . E Jesus abençoa todos os demais crentes que virão depois.

Os milagres de Jesus estão escritos para que creiam que Ele é o Cristo. E o mais importante é que Jesus segue presente no meio da Igreja e essa é a revelação para o mundo.

2 – MEDITAÇÃO : O que me  diz o texto?  O que nos diz o texto?

* Quais são os medos que tenho para viver como discípulo do Senhor? Tente fazer uma lista de seus medos para dizer aos demais que é cristão autêntico.

* Creio que Jesus ressuscitou verdadeiramente? Tenho dúvidas de fé?

* Como os programas dos meios de comunicação influenciam para fazer-nos crer que os relatos da ressurreição são apenas fantasia? Nossas comunidades se deixam levar por esses programas?

* Que coisas em minha vida dificultam a felicidade verdadeira do encontro com Cristo?

* Sinto-me enviado pelo Senhor, como enviou aos Apóstolos? Sou consciente deste envio? 

3  –  O R A Ç Ã O: O que digo a Deus?O que dizemos a Deus?

Senhor, eu te peço a graça de entender os sinais de tua presença e ação em minha vida. Aceito que a Igreja por teus ministros e pessoas fiéis me ajudem a enxergar estes sinais. Senhor aumenta a minha fé… Cristo confirma em meu coração a certeza de teus gestos de amor todos os dias…  Quero confiar sempre em ti. Como Tomé, quero dizer e repetir: Meu Senhor e meu Deus!

4  –  CONTEMPLAÇÃO: Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?

Imaginemos estar presentes com os discípulos na sala onde Jesus apareceu ressuscitado… Olhemos para sua cabeça envolta não mais com a coroa de espinhos, mas com uma luz clara mostrando seu rosto alegre e feliz…

Dirijamos nosso olhar para suas mãos com a marca de suas chagas, já agora luminosas… Seus braços que nos abraçam com carinho… Ouçamos o que ele nos diz em particular, animando-nos com palavras carinhosas… E o que diremos a Ele para responder a tanto amor…

5  – A Ç Ã O: Com o que me comprometo? Com o que nos comprometemos?

Propostas pessoais:

* Se eu creio que Jesus é meu Senhor, o Messias que veio salvar-me, que fazer para que os outros notem esta alegria? Propor uma ação concreta que demonstre minha alegria pascal.

* Comprometer-se a voltar a fazer oração com este texto de nossa fé, e escrever as ideias principais em um caderno de oração.

Propostas Comunitárias:

* Com seu grupo, elaborar um cartaz onde expresse nossa alegria cristã.

* Em grupo visitar doentes ou detentos ou anciãos ou pessoas necessitadas  para  conversar  alegremente com  eles  de  que  somos testemunhas da Ressurreição do Senhor, e que acreditamos que Ele está presente em nossa vida em todas as ocasiões.

Publicado em Artigos | Deixe um comentário

Testemunhar o amor – Monsenhor José Maria Pereira

Pentecostes4A Palavra de Deus (At 5 , 27- 41) apresenta o testemunho de Pedro em Cristo ressuscitado, diante do Sinédrio.

Proibido de dar testemunho de Jesus ressuscitado, Pedro repete novamente, com toda a franqueza, o anúncio da Ressurreição: “O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vós matastes, pregando-O numa Cruz” (At 5,30). Acaba de sair da prisão com os outros apóstolos, sabe que poderá ter que enfrentar piores dificuldades; mas não tem medo porque colocou já toda a sua confiança no Ressuscitado e compreendeu que tem de seguí-Lo nas tribulações. As suas palavras são reforçadas com uma notável afirmação: “Somos testemunhas destes fatos, nós e o Espírito Santo, que Deus concedeu àqueles que lhe obedecem” (At 5,32). É como se afirmasse que o Espírito Santo fala pela boca daqueles que, obedecendo a Deus, pregam o Evangelho enfrentando todos os riscos. Para os Apóstolos, este risco converte-se imediatamente em realidade ao serem submetidos à flagelação, mas tudo suportou com alegria, “por terem sido considerados dignos de injúrias, por causa do nome de Jesus” (At 5,41). “Pedro e os outros apóstolos responderam: “É preciso obedecer a Deus, antes que aos homens” (At 5,29). É este o testemunho que Jesus espera de cada um de nós, um testemunho livre de respeitos humanos e também do medo aos riscos e perigos. A fé intrépida dos que creem convence o mundo, mais do que qualquer outra apologia. Continue lendo

Publicado em Artigos | Deixe um comentário