Lectio Divina – 8º Domingo do Tempo Comum – Ano A- 26 de Fevereiro de 2017

TEXTO BÍBLICO: Evangelho de São Mateus 6, 24-34

Um escravo não pode servir a dois donos ao mesmo tempo,. Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro. Não se preocupem com a comida e bebida para viver, nem com a roupa para se vestir. A vida não é mais importante que a comida? E o corpo não é mais importante que as roupas? Os passarinhos que voam pelo céu: não semeiam, não colhem, nem guardam comida. . O Pai de vocês, que está no céu, dá de comer a eles. Vocês valem muito mais que os passarinhos. Nenhum de vocês pode aumentar sua vida, por mais que se preocupe com isso.  Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem as flores do campo: elas não trabalham, nem fazem roupas. Nem o rei Salomão, tão rico, usava roupas tão bonitas como essas flores. É Deus quem veste a erva do campo, que hoje dá flor e amanhã desaparece. Ele vestirá vocês, que têm uma fé tão pequena! Não perguntem: Onde vamos arranjar comida? ou Onde arranjar bebida? ou  roupas? Os pagãos (os que não tem fé!) estão sempre procurando essas coisas. O Pai de vocês sabe que vocês precisam de tudo isso. Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e Ele lhes dará todas essas coisas. Não fiquem preocupados com o dia de amanhã. O dia de amanhã trará as suas próprias preocupações. Para cada dia bastam as suas próprias dificuldades.

l – LEITURA

A Palavra de Deus nos indica: Vers.24: a atitude diante do dinheiro e das riquezas; Vers. 25-31: confiança em Deus que sempre cuida de seus filhos;  Vers. 32-34: a obediência a Deus como Senhor de nossas vidas.

A 1ª parte é: não se pode servir a Deus e ao dinheiro.  Jesus não se refere às  riquezas só, mas à atitude que se tem diante delas. A pouca riqueza pode amarrar o coração do ser humano. Há pessoas de muita riqueza, que não se escravizam por ela, mas colocam Deus acima de tudo e buscam partilhar seus bens.

A 2ª parte: Somos convidados a confiar em Deus, pois Ele “cuida” das plantas e dos animais. Para Deus valemos muito, mais que plantas e animais, por isso Ele cuida bem de nós. O que fazer? Confiar Nele… Por mais esforços que façamos não vamos aumentar um dia a mais à nossa vida. Devemos “abandonar-nos” em Deus e ensinar isso aos outros.      Deus é Senhor de nossas vidas e devemos obedecer à sua Palavra. Nossa vida é “assegurada” pela presença do bem e do amor apesar das dificuldades do nosso mundo.

Chamamos por “Divina Providência” a ação de Deus que não permite que nos falte nada do necessário à nossa vida. Em meio às dificuldades, quando pensamos que não conseguiremos, Deus sempre nos dá Sua força para continuarmos adiante.

Outros textos para comparar:  Mt 5,1-3;  Lc 16,13  e 12,22-31.

Perguntas para a leitura

* Por que não trabalhar para dois senhores ao mesmo tempo? O que aconteceria?

* De que coisas não devemos preocupar-nos em nossa vida?

* Por que não devemos pôr no centro da vida a preocupação com o que comer?

* O que devemos aprender com as “flores do campo”?

* Como Deus trata aos seres humanos? Por que confiar?

* Que é Divina Providência?Por que Deus deve ser único Senhor de nossa vida?

* Devemos obedecer à Palavra de Deus?  Por quê ê

2 – MEDITAÇÃO

* Em minha vida como se manifesta a relação entre Deus e as riquezas?

* Busco ter o Senhor como centro da minha vida ?

* À que dou mais importância na minha vida?

* Vivo na sociedade de consumo: Dou valor às  “marcas” de roupas e objetos?

* Confio em Deus, que cuida e protege seus filhos dando o que  necessitam?

* Que aprendo com o ensinamento de Jesus sobre as flores do campo?

* Deixo-me guiar por Deus? Confio na Providência Divina?

* Aceito a Deus como único Rei e Senhor? Busco obedecer a Palavra de Deus?

3 – O R A Ç Ã O

O Sl 61(62)nos ajuda a rezar melhor. Só em Deus descansa meu espírito, dele me vem a salvação. Só Ele é meu refúgio e salvação, minha fortaleza jamais será abalada.  Senhor Deus, tenho inimigos que se viram contra mim! Dizem:”Deus não o ajudará!” Mas tu, Senhor, me proteges e renovas a minha coragem. Eu chamo o Senhor e ele me responde. Eu me deito, e durmo tranquilo, e acordo porque o Senhor me protege. Não tenho medo dos que me ameaçam. Vem, Senhor! Salva-me! Tu humilhas os maus e acabas com o seu poder. És tu que dás a vitória. Senhor, abençoa o teu povo.

4 – C o n t e m p l a ç ã o

Humildemente, como Maria em Betânia, me coloco a teus pés, Senhor Jesus. Fala a meu coração ! Mostra-me por tua bondade quando te interessas por mim. Toma conta de minha vida. Coloco em tuas mãos minha vida.  Quero confiar em tua Divina Providência, ser humilde e simples, para escutar e obedecer tua Palavra. Sê o centro de minha vida. Que eu deixe em segundo lugar as riquezas e posses deste mundo. Queremos amar-Te e ser mais fiel a Ti.. Amém.

5 – A ç ã o

* Reservar algumas economias minhas para partilhar com pessoas necessitadas.

* Pensar com outras pessoas numa maneira prática para atender e socorrer de maneira particular as pessoas que menos tem. Será um sinal de querer partilhar as próprias “riquezas” (poucas ou muitas) com os demais.

Publicado em Artigos | Deixe um comentário

Lectio Divina – 7° Domingo do Tempo Comum – Ano A – 19 de Fevereiro de 2017

TEXTO BÍBLICO: Mateus 5,38-48

Vocês ouviram o que foi dito: Olho por olho, dente por dente.  Eu lhes digo: não se vinguem dos que fazem mal a vocês. Se alguém lhe der um tapa na cara, vire o outro lado para ele bater também.  Se alguém quiser tomar a sua túnica, deixe que leve também a capa. Se alguém forçá-lo a carregar uma carga um quilômetro, carregue-a dois quilômetros. Se alguém lhe pedir alguma coisa, dê; e, se alguém lhe pedir emprestado, empreste. (A vingança Lucas 6.29-30)  Vocês ouviram o que foi dito: Ame seus amigos e odeie seus inimigos.Eu lhes digo: amem seus inimigos e orem pelos que os perseguem , para que vocês se tornem filhos de seu Pai, que está no céu. Ele faz o sol brilhar sobre bons e maus e dá chuvas para os que fazem o bem e para os que fazem o mal. Se vocês amam só aqueles que os amam, esperam que Deus lhes recompense? Até os cobradores de impostos amam as pessoas que os amam! Se vocês falam só com os amigos, que é que estão fazendo de mais? Os pagãos fazem isso!  Portanto, sejam perfeitos, como é perfeito o Pai de vocês, que está no céu. (Amar os inimigos Lucas 6.27-28,32-36) 

l – LEITURA: O que diz o texto?

Continuamos o que o Senhor pronunciou a seus discípulos. Diferentes assuntos, presentes na vida cotidiana de quem quer seguir o Senhor, vão sendo apresentadas.

O texto de hoje pode ser dividido em três partes:

  1. A superação da atitude de vingança; 2.   O amor aos inimigos;  3.   A perfeição.

1 – Jesus cita Moisés, do Antigo Testamento, para aperfeiçoá-lo sobre conviver com os outros. De agora em diante a situação não será mais a mesma. Devemos superar a tentação da vingança com atitude pacífica. Superar a violência, não responder a violência com violência. Vencer o mal com a força e o poder do bem que nos é dado por Deus.

2 – Jesus supera o amor ao próximo. Não somente o “amigo”, mas também o “inimigo” deve ser amado. Este é o caminho do discípulo do Reino. Amar até o extremo, amar na dor, amar como Cristo nos Amar também aos que nos fazem o mal, ou seja, aos nossos “inimigos”.

2 – Somos convidados à perfeição a exemplo do Pai dos céus. Chegar a perfeição de Deus parece impossível. Que perfeição é esta? Que nossa tendência interior seja sempre orientada à perfeição… Nunca devemos abaixar os braços, devemos aproximar-nos “o mais possível” da perfeição. A perfeição a que o Senhor nos chama e nos dá a força para levarmos adiante. 

Indicações para a leitura:

  • Como começa o texto de hoje? Com quem está falando Jesus? (Mt 5,1-2)
  • Devemos vingar-nos daqueles que nos fazem o mal? Por quê?
  • Que atitude deve ter o discípulo de Cristo diante do irmão que faz algum mal?
  • Qual deve ser a nossa atitude diante do inimigo?
  • Que atitude de Deus diante de homens bons e de homens maus?É a mesma?
  • Qual deve ser o sinal distintivo dos discípulos do Senhor?
  • Como termina o texto de hoje? O que significa exatamente ser perfeito?

2 – MEDITAÇÃO: O que me diz o texto? O que nos diz o texto?

  • Em minha vida: já caí ai na tentação da vingança? Como aconteceu?
  • Respondo o mal com o mal? Como reajo se alguém me faz algum mal?
  • Sou violento em pensamentos, palavras ou ações diretas?
  • Tenho um coração grande e aberto para receber o irmão?
  • Acompanho o necessitado, mesmo que não seja meu amigo ou conhecido?
  • Tenho algum inimigo, alguém que não me queira bem, que me despreze por alguma coisa ou busca fazer-me algum mal? Como reajo diante deles?
  • Tranquilizo minhas tentações de ódio com a oração confiante a Jesus?
  • Creio que Deus ama todas as pessoas, além de suas capacidades e condições?
  • Busco ser perfeito como Deus é perfeito?                    

3 – ORAÇÃO: O que digo a Deus? O que dizemos a Deus?

Deixemos que nossa oração seja guiada pela recomendação de São Paulo na Carta aos Romanos 12,21: “Não deixem que o mal vença vocês, mas vençam o mal com o bem.”

4 – CONTEMPLAÇÃO: Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?

O caminho que Deus hoje nos propõe é a perfeição. Busquemos fazer nosso momento de contemplação repetindo serenos, o versículo 48: Portanto, sejam perfeitos, assim como é perfeito o Pai de vocês, que está no céu.                           

5-ACÃO: Com o que me comprometo? Com o que nos comprometemos?

Proposta pessoal

Escolher dois aspectos da minha vida para crescer em “perfeição”. Por exemplo: ser mais amável; tudo o que pedir, pedir por favor; não emitir apressados julgamentos etc.

Proposta comunitária

Conversar com o grupo sobre os possíveis inimigos de hoje.

Não pensar somente nas pessoas, mas também nos grupos e instituições que podem influenciar no povo. Qual deve ser nossa resposta?

Que atitude devemos tomar?

Como exemplo, podemos citar situação difícil na sociedade do abuso do álcool, das drogas.   Como ajudá-los?

Publicado em Artigos | Deixe um comentário

Lectio Divina – 6° Domingo do Tempo Comum – Ano A – 12 de Fevereiro de 2017

 

TEXTO BÍBLICO: Evangelho  de São Mateus 5,17-37

Só entrarão no Reino do Céu se seguirem a vontade de Deus mais que os mestres da Lei e os fariseus.Foi dito: Não mate. Quem matar será julgado. Eu lhes digo: quem tiver raiva do irmão será julgado. Quem diz ao irmão: Você não vale nada, será julgado. Quem o chamar de idiota poderá ir para o fogo do inferno. Se você leva no altar sua oferta a Deus e lembra que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta no altar, e faça as pazes com ele. Depois volte e ofereça a oferta a Deus. Se alguém fizer uma acusação contra você e levá-lo ao tribunal, entre em acordo com ele antes de chegarem lá. Depois de chegarem ao tribunal, você será entregue ao juiz, e será jogado na cadeia. Você não sairá dali sem pagar a multa toda.          

Foi dito: Não cometa adultério. Eu lhes digo: quem olhar para uma mulher com malícia comete adultério no seu coração. Se seu olho o leva a pecar, arranque-o e jogue-o fora. É melhor perder parte do corpo que o corpo inteiro ser atirado no inferno. Se sua mão o leva a pecar, corte-a e jogue-a fora. É melhor perder parte do corpo do todo o corpo ir para o inferno.

Foi dito: “Quem mandar sua esposa embora deverá dar a ela documento de divórcio.” Eu lhes digo: todo homem que mandar sua esposa embora, a não ser por adultério, será culpado de fazê-la adúltera, se ela casar de novo. E o homem que casar com ela cometerá adultério.

Vocês ouviram o que foi dito: Não quebre sua promessa, mas cumpra o que você jurou ao Senhor. Eu lhes digo: não jurem de jeito nenhum. Não jurem pelo céu, pois é o trono de Deus; nem pela terra, pois é o estrado de seus pés; nem por Jerusalém, pois é a cidade do grande Rei. Não jurem nem mesmo por sua cabeça, pois vocês não podem fazer com que um só fio de cabelo fique branco ou preto. Que o “sim” de vocês seja sim, e o “não”, não, pois qualquer coisa a mais que disserem vem do Maligno.

Veja também: Mateus 19.1-9; Marcos 10.1-12; Lucas 16.18

Indicações para a leitura:  

Jesus ensina seus discípulos que não imitem os que falam muito das coisas de Deus e não seguem na vida. Devemos à obediência à Lei de Deus. Os mandamentos foram dados por Deus como um “código” para encontrar a felicidade. Sendo obedientes a Deus podemos alcançar a completa felicidade. O Senhor apresenta exemplos práticos de obediência à lei e como alguns pretendem “enganar” aquilo que Deus pede. Sobre ódio e maldição nunca podem ser caminho do discípulo de Jesus. Jesus fala sobre o matrimônio. O que diz se aplica ao crescer no amor autêntico que sempre respeita e é fiel ao compromisso assumido na vida Sacramental. Deus quer nossa felicidade e a alcançaremos vivendo como Deus quer com nosso próximo, em relação à nossa sexualidade.

Jesus exorta pede respeito pelo nome de Deus e jurar em seu nome. Nem  por nada nem por ninguém. Nossa palavra deve ser verdadeira. Seremos felizes seguindo o que Jesus nos pede.

1 – LEITURA:  O que diz o texto?

* Jesus fala sobre mandamentos e preceitos para que possamos ser felizes.

* Devemos ser obedientes a Deus? Por quê?

* A quem não devemos imitar? Por que não devemos imitar o que fazem de mal?

* Qual foi o mandamento ensinado por Moisés no passado?

* O “não matar” é só “não assassinar” ou em sentido mais amplo?

* O que acontecerá com quem insulta e amaldiçoa o próximo?

* Como deve ser vivido o sacramento do matrimônio?

* Pode-se jurar em nome de Deus ou em qualquer outro nome?

* Qual deve ser a atitude do discípulo de Jesus em relação ao que diz?

2 – MEDITAÇÃO: O que me diz o texto? O que nos diz o texto?

* Sou obediente a Jesus e a seus mandamentos?

* Busco cumprir os ensinamentos de Jesus na minha vida?

* Imito os que fazem o bem?

* “Mato” meus irmãos com a indiferença ou com o maltrato?

* Tenho caído na tentação de amaldiçoar a alguma pessoa?

* Insulto as pessoas?  Desprezo aos que não são como eu?

* Olho com pureza de coração o meu próximo?

* Em minhas relações sou respeitoso, cuidadoso e procuro sempre o bem do próximo?

* Preparo meu coração para o amanhã para formar família na fidelidade no matrimônio?

* Tenho feito juramentos usando o nome de Deus ou de qualquer outra pessoa?

* Sou responsável e busco sempre cumprir com minha palavra?

3 – ORAÇÃO: O que digo a Deus? O que dizemos a Deus?

Este texto deve inspirar-nos à oração, que é nossa resposta ao Senhor. Façamos um profundo silêncio, repassando a leitura… Podemos dizer de coração ao Senhor:

Pai Santo, te damos graças porque Tu sempre buscas nossa felicidade. Nós sempre estamos atentos a teus mandamentos e por esse motivo, falhamos. Às vezes nos confundimos e queremos encontrar a felicidade em caminhos que não são os teus, os que Tu nos mostras. Pai Santo, te pedimos que abras nosso duro coração aos ensinamentos do teu Filho, nosso Senhor Jesus Cristo. Que entendamos que Ele nos repreende quando nos deixamos levar por caminhos que nos distanciam de ti. Que não somente conheçamos teu evangelho, que é a Boa Nova em nossas vidas, mas que também aprendamos a vivê-lo em plenitude. Amém!

4 – CONTEMPLAÇÃO: Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?

A contemplação deste texto deve-nos levar a selecionar uma frase que nos tenha chamado a atenção.  Podemos usar a frase com a qual começa o texto:

“Pois eu afirmo a vocês que só entrarão no Reino do Céu se forem mais fiéis em fazer a vontade de Deus do que os mestres da Lei e os fariseus”.

A partir desta frase, dialogar com o Senhor sobre nossa obediência e também sobre nossa desobediência. Que Ele nos ajude em nosso caminho a verdade para assim podermos encontrar nossa felicidade.

Podemos finalizar este momento dizendo: Senhor, somente se vivo como Tu me pedes, serei feliz!

5-AÇÃO: Com o que me comprometo? Com o que nos comprometemos?

* Se estou sozinho: seria oportuno voltar a ler o texto evangélico e avaliar-me como estou vivendo a obediência a Deus, a relação com o próximo, o matrimônio e as promessas.

* Se estou em grupo podemos dialogar sobre: Como a sociedade de hoje está “matando” os indivíduos e as famílias? Como posso “matar” meu próximo? A partir das perguntas fazer um compromisso concreto e pontual.

 

Publicado em Artigos | Deixe um comentário

Testemunhar o amor – Monsenhor José Maria Pereira

Pentecostes4A Palavra de Deus (At 5 , 27- 41) apresenta o testemunho de Pedro em Cristo ressuscitado, diante do Sinédrio.

Proibido de dar testemunho de Jesus ressuscitado, Pedro repete novamente, com toda a franqueza, o anúncio da Ressurreição: “O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vós matastes, pregando-O numa Cruz” (At 5,30). Acaba de sair da prisão com os outros apóstolos, sabe que poderá ter que enfrentar piores dificuldades; mas não tem medo porque colocou já toda a sua confiança no Ressuscitado e compreendeu que tem de seguí-Lo nas tribulações. As suas palavras são reforçadas com uma notável afirmação: “Somos testemunhas destes fatos, nós e o Espírito Santo, que Deus concedeu àqueles que lhe obedecem” (At 5,32). É como se afirmasse que o Espírito Santo fala pela boca daqueles que, obedecendo a Deus, pregam o Evangelho enfrentando todos os riscos. Para os Apóstolos, este risco converte-se imediatamente em realidade ao serem submetidos à flagelação, mas tudo suportou com alegria, “por terem sido considerados dignos de injúrias, por causa do nome de Jesus” (At 5,41). “Pedro e os outros apóstolos responderam: “É preciso obedecer a Deus, antes que aos homens” (At 5,29). É este o testemunho que Jesus espera de cada um de nós, um testemunho livre de respeitos humanos e também do medo aos riscos e perigos. A fé intrépida dos que creem convence o mundo, mais do que qualquer outra apologia. Continue lendo

Publicado em Artigos | Deixe um comentário